Nesse artigo vou compartilhar com você minha experiência comprando serviços de streaming ao vivo para a Rádio Geek e explicar os pontos mais importantes que você deve colocar na balança para acertar na compra.

O primeiro fornecedor de streaming ao vivo

O ano era 2016 e, quando ainda planejávamos o lançamento da Rádio Geek, decidimos contratar os serviços da BrLogic por 2 motivos: 1) o preço, R$51,99 2) porque era o fornecedor de a 89FM.

A ativação do serviço foi tranquila. Eles forneceram alguns tutoriais fáceis de seguir. Achamos o painel um pouco confuso e cheio de coisas que não usaríamos. Em pouco tempo configuramos o que precisávamos, escolhemos o template do player online, fizemos a primeira versão do nosso site e tudo funcionava bem.

Fizemos um plano de lançamento. Divulgamos nas redes sociais. Lançamos o site e nosso app mobile e em novembro daquele ano fizemos a primeira transmissão pública.

O painel da BrLogic mostrava números de audiência incríveis!

Em dezembro fechamos com a Campus Party para realizar 88 ações de entretenimento na área dos campuzeiros. Esperávamos dobrar nossa audiência após o evento. Mas então, a BrLogic nos comunicou que nossos números estavam "estranhos". Analisamos e identificamos que o processo de obter o metadado da transmissão gerava muitas sessões de 0 segundos de duração.

Pedimos o log do servidor. Eles nos mandaram e montamos um sistema de contabilização da audiência tentando, primeiramente, reproduzir os valores indicados no painel deles. Sem sucesso. Nada batia. Então, desistimos e adotamos uma contabilização considerando apenas conexões de, no mínimo, 1 minuto de duração e passamos 3 semanas pra validar o sistema. Ai, passamos a pedir o log todos os meses.

Uma outra coisa que foi uma pedrinha no sapato foi o sistema de metadado baseado no nome do arquivo. Se deixássemos nomes genéricos facilitava a operação e ficava estranho para o ouvinte.

O mercado de streaming ao vivo

Comecei então a buscar um novo fornecedor para rodar o streaming ao vivo e ter dados para comparar com os fornecidos pela BrLogic.

A primeira grande dificuldade era comparar a tecnologia de transmissão ao vivo oferecida pelas diversas empresas. Algumas trabalham com Icecast, outras com Shoutcast, outras com Wowza e algumas poucas com tecnologia própria.

Icecast e Shoutcast é o mais comum

A maior parte das empresas trabalham ou com Shoutcast ou com Icecast (até o Wowza pode ser configurado para trabalhar com Icecast ou Shoutcast).

Vantagens:

  • É possível aferir audiência com bastante a partir do servidor;
  • Amplo suporte por browsers, aplicativos e tocadores;
  • Baixo atraso na transmissão comparado ao FM.

Desvantagens:

  • Quanto mais distante a localização do servidor em relação ao ouvinte, mais quedas na conexão ele vai experimentar;

HLS e a promessa de qualidade

Alguns fornecedores têm pregado que a transmissão ao vivo em HLS (ou HTTP Live Streaming), é a melhor opção.

Vantagens:

  • É possível configurar para variar a qualidade da transmissão de acordo com a velocidade de conexão do ouvinte.

Desvantagens:

  • Para aferir audiência é necessária programação extra nos players;
  • Requer programação extra para funcionar em muitos navegadores, aplicativos e tocadores;
  • Possui muito atraso na transmissão comparado ao FM.

Ouvintes Simultâneos vs Limite de Tráfego

Algumas empresas cobram pela quantidade de ouvintes simultâneos e outras por tráfego de dados.

Porém, no final, você sempre estará sendo cobrado por tráfego de dados. Quanto mais ouvintes simultâneos, maior o tráfego de dados. Quanto maior o tempo médio de audição, maior o trafego de dados. Quanto maior a qualidade da transmissão ao vivo, maior o tráfego de dados. Enfim, já entendeu né?

Pra você ter uma ideia do consumo de dados:

Supondo:

  • 1 ouvinte;
  • 10h por dia;
  • 30 dias seguidos;
  • Qualidade de transmissão de 64Kbps;

Seu tráfego seria:

  • (64 x 60) = 3.840Kb por segundo;
  • (3840 x 60) = 230.400Kb por hora;
  • (230400 x 10) = 2.304.000Kb por dia;
  • (2304000 x 30) = 69.120.000Kb por mês.

Ou seja, cerca de 69GB por mês.

Na minha experiência, como o volume de dados varia muito de acordo com o total de ouvintes simultâneos e o tempo médio de audição de cada ouvinte, é MUITO melhor negociar por ouvintes simultâneos.

Estatísticas e métricas de audiência

Esse é o tema mais complexo do momento.

A única forma confiável de aferir audiência é se o servidor de transmissão ao vivo utilizar "token" para autenticar e autorizar as conexões dos ouvintes.

Caso contrário, a transmissão ao vivo da sua rádio vai contabilizar como audiência e consumo de dados um monte de coisa inútil como os robôs do Google, as tentativas de invasão do seu servidor, de roubo de sinal, etc.

A localização é muito importante

A internet não tem os mesmos problemas que a transmissão ao vivo via antena, porém, sofre problemas parecidos.

Por exemplo, se sua rádio é de São Paulo e o seu fornecedor de streaming ao vivo comprar serviços de hospedagem no Canadá, quanto mais ao Sul do Brasil pior será a estabilidade da conexão e vai demorar mais pra carregar o áudio.

Afinal, como escolher o fornecedor

Segue um checklist pra te ajudar:

  • Possui servidor na cidade ou país de transmissão da rádio?
  • Cobra por ouvintes simultâneos?
  • Trabalha com token na conexão do ouvinte?
  • Fornece métricas de audiência histórica?
  • Trabalha com Icecast ou Shoutcast?

Com as agências e os anunciantes investindo cada vez mais no digital é muito importante sua rádio ter presença e métricas no digital.



Confira também: