Desde de setembro de 2015 assumimos os aplicativos iOS e Android da rádio 89FM de São Paulo e, nesse artigo, vou compartilhar os desafios para fazer a rádio ganhar 100 novos ouvintes orgânicos por dia no streaming ao vivo, o que funciona e o que não funciona baseado na experiência prática nesses quase 3 anos de trabalho.

A realidade dos apps de rádio

Com certeza você sabe que Apple, Samsung e cia atualizam todos os anos os modelos dos seus smartphones. O que talvez você não saiba é que os sistemas operacionais, o programa que faz o aparelho funcionar ou, popularmente, iOS e Android, também recebe atualizações todo ano.

E sempre que tem uma atualização os desenvolvedores de aplicativos deveriam ter que revisar todas as funcionalidades dos aplicativos para garantir o bom funcionamento na nova versão do sistema. Porém, na prática, isso dificilmente acontece...

Foi o que aconteceu com os aplicativos da 89FM!

Para cada avaliação ruim na loja você precisa de 100 avaliações com nota máxima para ter uma ótima média

Na época, os aparelhos com Android 5.0 eram novidade e o aplicativo não funcionava nessa versão do sistema operacional e, como as novas versões são geralmente adotadas por os ouvintes formadores de opinião, conforme novas avaliações ruins eram feitas, mais ouvintes se sentiam motivados a reclamar também e, com isso, aumentava a taxa de desinstalação.

Por dia, para cada 100 novas instalações tínhamos 185 desinstalações!

O ouvinte se sentia desvalorizado pela rádio. Além disso, o aplicativo ficava na conta do desenvolvedor ao invés da conta oficial da rádio e, depois de pesquisas, identificamos que muitos ouvintes achavam que ninguém dava atenção e não adiantava falar. Ele achava que sua voz não era ouvida.

E, no geral, olhando os sites e aplicativos das rádios o ouvinte tem razão, não é mesmo?

A raiz do problema, o streaming ao vivo

Nossa primeira ação vou garantir o funcionamento do aplicativo nas versões mais recentes dos sistemas operacionais dos smartphones e criar um sistema de registro de problemas que nos fornecesse informações úteis sobre o tipo de falha.

Coletamos milhares de dados e em 2 mês geramos cerca de 15 atualizações.

Mesmo assim muitos ouvintes reclamavam que o aplicativo travava "o tempo todo" e ele tinha que "dar play de novo a toda hora".

Quando já estávamos sem ideias o Google lançou uma ferramenta chamada "Vitals". Com ela nós tínhamos dados que nos ajudaria a compreender e a melhorar a estabilidade, o tempo de apresentação e a utilização da bateria da sua aplicação. Tudo isso com a possibilidade de comparar com outros aplicativos da mesma categoria.

Nossos resultados estavam abaixo do limite de mal funcionamento e similar as 50 aplicações mais populares. Ou seja, estava ótimo!

Mas, porque os ouvintes estavam tendo problemas?

Como comprar streaming ao vivo para sua rádio

Testando um outro servidor de streaming ao vivo

Durante a Campus Party 2017 encontrei o Edson Borelli da Blackdoor Sec. Eles eram os responsáveis pela infraestrutura do evento que é famosa pela alta performance e confiabilidade. Conversando com ele sobre as rádios e as reclamações dos ouvintes ele me perguntou se já tínhamos testado com outro fornecedor de streaming ao vivo. Eu disse que não. E ele prontamente colocou a Blackdoor Sec para nos ajudar com esse teste.

Eles montaram um servidor Shoutcast. A rádio 89FM configurou o encoder para enviar o sinal para esse servidor. E nós modificamos a url de conexão do streaming ao vivo (como tínhamos um painel administrativo para gerenciar essas configurações não precisamos enviar uma atualização para os ouvintes).

Rodamos o teste por 45 dias. Nesse período, olhando o Vitals, não tivemos grandes mudanças nas taxas de falhas, porém, também não recebemos mais reclamações dos ouvintes.

A prova dos 9

Depois disso fizemos um piloto com a UPX para tirar de vez as dúvidas se o problema estava ou não na transmissão.

Porém, devido aos diversos problemas com a transmissão ao vivo com eles e as muitas reclamações dos ouvintes, abandonamos os testes depois de 2 semanas.

Nem todo problema é técnico

Colocamos um profissional para fazer um levantamento das principais reclamações dos ouvintes e identificamos que eles se sentiam desvalorizados pela rádio porque achavam que ninguém dava atenção e não adiantava falar. Ele achava que sua voz não era ouvida.

Fizemos uma força tarefa para responder aos mais de 10 mil comentários que havia na loja. Levamos 5 dias para responder cada comentário personalizando a mensagem incluindo o nome do ouvinte, informando que tínhamos resolvido os problemas e pedindo para atualizarem o aplicativo e darem um feedback via loja.

Resultado?

Poucos ouvintes atualizam a nota e o comentário na loja. A maioria, provavelmente, tinha desinstalado o aplicativo.

O detalhe que as rádios não percebem

Certa vez recebemos um e-mail de um ouvinte questionando se o aplicativo na loja da "Sancle" era o aplicativo oficial da rádio.

Poucas rádios têm seus aplicativos publicados em uma conta em nome da rádio e, para o ouvinte, fã da sua rádio, é complicado diferenciar o oficial do "pirata".

Como é com a sua rádio?

As imagens e texto na loja fazem toda diferença

Cada loja de aplicativos tem regras próprias e pouco divulgadas sobre o que tem mais e menos peso para um app ser considerado mais relevante que outro.

Entendê-los exige estudo, muitas tentativas e alterações constantes na forma que um app é apresentado.

Se sua rádio não é a dona da conta, já estão perdendo ouvintes.

Em resumo

Para sua rádio ganhar ouvintes orgânicos na transmissão ao vivo:

  • Seja a dona da conta da loja de aplicativos;
  • Tenha um streaming ao vivo estável;
  • Mostre ao ouvinte que sua rádio se importa com ele.

Simples assim.



Confira também: